18 Agosto 2017

Brasília, 18/04/2017, terça-feira

 

 

Sustentabilidade I
O Núcleo de Sustentabilidade Ambiental do Unieuro, coordenado pela bióloga, mestre em Ecologia, Juliana Leoni, foi criado em 2016 com a proposta de promover e manifestar a sustentabilidade nas atividades acadêmicas e administrativas da instituição. É o que preconizam a Política Nacional de Educação Ambiental e as diretrizes para a promoção do desenvolvimento nacional sustentável, requisitos legais e normativos do MEC.

Sustentabilidade II
Entre as atividades desenvolvidas pela instituição está o gerenciamento ambiental de recursos naturais consumidos e dos resíduos sólidos gerados nas dependências do Unieuro. Também estão inclusas políticas que incentivam mudanças quanto ao consumo de água e da energia elétrica e a correta destinação dos resíduos sólidos. Estudantes, funcionários e professores estão convidados a participar das atividades, começando por uma rápida enquete online sobre Meio Ambiente e Sustentabilidade disponibilizada no site do Unieuro via link UNIEURO trilhando caminhos para a Sustentabilidade.

 

 

Mostra
Com curadoria de Celina Kaufman, inaugura, às 19h, no Pátio Brasil, a exposição “Recortes Urbanos” do artista plástico Paulino Aversa, em parceria com a Art & Art Galeria. A mostra segue até o dia 18 de maio.

Projeto reverte...
Os créditos de milhagens oferecidos pelas companhias aéreas, quando provenientes de passagens compradas pelo poder público, poderão ser incorporados ao erário e ter seu uso restrito a viagens a serviço da instituição que gerou o benefício. A medida está prevista no Projeto de Lei do deputado licenciado e atual ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

...ao serviço público...
Segundo ele, sua proposta vincula-se à ética administrativa, à economia de recursos e à eficiência do setor público. A matéria, diz, vai acabar com a utilização de créditos aéreos por agentes e servidores públicos em benefício próprio.

...milhas de viagem oficial
“Causa repulsa ao senso moral e ético que o servidor que não pagou pela passagem viaje depois pelo Brasil ou pelo exterior utilizando os frutos da passagem aérea comprada com o dinheiro do contribuinte. O procedimento admissível seria que os prêmios só pudessem ser destinados aos órgãos ou entidades que as tenham custeado”, reforça Nogueira.